Portal

Atividade Motora Adaptada - AMA


Resumo
O projeto vem sendo desenvolvido desde março de 2006 e neste ano completará quatro anos de existência. Atendendo às necessidades básicas e apoio às pessoas portadoras de deficiência no que diz respeito às atividades físicas e aos esportes, jogos, recreação e reabilitação, trabalham as capacidades sensório-motoras, física e cognitiva remanescentes nestes indivíduos através da prática proposta. Ativa suas condições orgânicas assim como propicia uma melhor qualidade de vida. O projeto tem como objetivo geral trabalhar a atividade motora adaptada e de reabilitação em pessoas que portam deficiência mental permanente, deficiência física, motora e amputação e a deficiência auditiva e visual.

Todo início de semestre procede à execução das seguintes etapas: formação e ampliação de uma equipe de alunos, estagiários e professores da Instituição interessados em trabalhar com os alunos portadores de necessidades educacionais especiais; diagnóstico inicial dos alunos através de avaliações clínicas, antropométricos e funcionais. Cada aluno deverá possuir um prontuário que possibilitará a avaliação de sua evolução no decorrer do trabalho, a definição dos grupos e da proposta de atividades físicas, iniciação esportiva e de reabilitação a ser oferecido, o registro das aulas através de anotações, fotografias e filmagens para constantes avaliações e divulgação do trabalho em eventos científicos. A presente atividade segue os preceitos adotados pela Resolução 196/96 do CNS para resguardar e preservar a identidade dos participantes.

As atividades acontecerão uma vez por semana pela manhã e tarde, com duração de duas horas a sessão. Além de atender a esta parcela da população tão carente de recursos e oportunidades para demonstrar suas potencialidades e melhorar sua qualidade de vida. O projeto espera também complementar o conteúdo ministrado em algumas disciplinas que compõem o currículo dos cursos de graduação de Educação Física e Fisioterapia.

Impacto na comunidade
De acordo com os dados do IBGE (2000) são 47.176 habitantes da região do litoral Norte do Rio Grande do Sul que apresentam algum tipo de deficiência, entre elas estão: deficiência mental permanente, deficiência física, motora e amputação e a deficiência auditiva e visual. O trabalho com a atividade motora adaptada torna-se imprescindível pela necessidade que a Universidade tem em oferecer ações que promovam o desenvolvimento, a capacitação e a qualificação profissional dos futuros professores de Educação Física e fisioterapeutas junto à população deficiente desta região.

Professor: Marinei Lopes Pedralli
Curso: Educação Física